Categorias
Intercâmbio

Veja como trabalhar no exterior legalmente e estudar inglês

Morar fora do Brasil é o grande desejo de muitas pessoas que querem aprender um novo idioma ou, até mesmo, construir uma carreira em outro país, mas, uma das questões mais importantes nesse sentido é, justamente, como trabalhar no exterior para sobreviver.

Antes de mais nada, é preciso entender alguns aspectos sobre as possibilidades de como trabalhar no exterior, como por exemplo, quais atividades exercer, em quais países é legal um estrangeiro trabalhar, por quanto tempo etc.

Dessa forma, saber onde e como trabalhar no exterior legalmente é fundamental para evitar problemas durante a sua estadia, pois, não são todos os países que liberam o trabalho para estrangeiros, sejam estudantes ou não.

Assim, vamos apresentar neste artigo, uma das formas mais simples e seguras de como estudar e trabalhar fora do país, além de opções de países que aceitam que o aluno estrangeiro trabalhe de forma legal.

Atualmente, não são muitos os países que deixam os alunos estrangeiros estudarem e trabalharem, além disso, existem regras específicas que precisam ser seguidas para que o estudante siga morando de forma legal no país.

A princípio, o intercâmbio para estudo e trabalho é a forma mais simples, segura e rápida para se conseguir uma autorização temporária de trabalho e um emprego no exterior.

Então, vamos explicar mais sobre as condições de como estudar e trabalhar no exterior, nos 5 principais países que aceitam que os alunos brasileiros estudem e trabalhem.

De uma forma geral, o requisito básico é que o aluno precisa estar matriculado em um curso de idiomas com pelo menos 14 semanas de duração.

Conforme a regra, ele poderá trabalhar nas horas vagas e nas férias.


Como trabalhar no exterior: destinos mais populares

  • Austrália
  • Irlanda
  • Emirados Árabes
  • Malta
  • Nova Zelândia

Austrália

Com o visto de estudante (que autoriza trabalhar) pego ainda no Brasil, então, o aluno busca o emprego por conta própria, dentre muitas oportunidades em hotéis, bares, restaurantes, lojas, cafés etc.

O aluno deve estar matriculado em um curso de inglês com duração mínima de 14 semanas e carga horária mínima de 20 horas por semana.

Pode trabalhar até 20 horas por semana durante as aulas e até 40 horas semanais nas férias e feriados. Frequentemente, a média salarial é de AUD $16.88 por hora.

Irlanda

Da mesma forma, na Irlanda, há muitas oportunidades similares de emprego no exterior e o aluno precisa estar cursando um curso de idiomas para que tenha direito de trabalhar nas horas vagas.

O curso precisa ter, no mínimo, 25 semanas e a carga horária deve ser de pelo menos 15 horas semanais. Pode-se trabalhar até 20 horas por semana durante os estudos e até 40 horas semanais nas férias e feriados.

O visto é feito na Irlanda mediante apresentação da documentação exigida. O salário médio é de EUR 8.65 por hora.

Emirados Árabes

Em Dubai, o próprio aluno deverá buscar o emprego que desejar e vai precisar comprovar condições de se manter durante a viagem , independente do trabalho.

Todavia, o estudante já precisa ter um nível intermediário de inglês para aplicar a este programa.

A duração mínima exigida do curso é de 12 semanas, com 15 horas de aulas por semana. O aluno pode trabalhar durante todo o período de estudo e sem limite de horas de trabalho.

Enquanto o visto é feito pela própria escola e leva cerca de 2 a 4 semanas para processar.

A média salarial é de $5.000 Diham (moeda local) por mês.

Malta

Em Malta, o aluno igualmente deverá buscar a vaga de emprego que mais lhe convier e precisa comprovar condições financeiras para aplicar para o visto  no próprio destino.

O curso deve ter duração mínima de 14 semanas, com carga horária de, pelo menos, 15 horas semanais.

Porém, a permissão para trabalhar é concedida somente após a 13ª semana e a carga horária permitida para trabalho é de 20 horas por semana. O salário médio é de EUR 5 por hora.

Nova Zelândia

O estudante matriculado num curso de idiomas ou profissionalizante poderá estudar e trabalhar na Nova Zelândia, desde que não haja conflito entre os horários de estudo e de trabalho.

Similar à Austrália, o visto de estudante solicitado no Brasil, já vem com autorização de trabalho temporário. O curso deve ser de, pelo menos, 14 semanas e ter 20 horas por semana.

O trabalho é permitido durante o período de estudo e por até 20 horas semanais. Os salários pagos são, em média, NZD 13.75 por hora.

Enfim, se você curtiu essas dicas de como trabalhar no exterior e quer ter uma experiência internacional incrível, além de aprimorar muito o seu idioma, fale com nossos especialistas em cursos de idioma e trabalho no exterior.

Boa viagem e ao trabalho!

Fique por dentro de tudo sobre intercâmbio

Deixe um comentário