Escrito por: Marcelo Melo

Quantos níveis de inglês existem? Conheça a padronização CEFR

Os níveis de inglês podem ser: básico, intermediário e avançado. O Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR) considera 6 níveis.

Início » Blog IE Intercâmbio » Quantos níveis de inglês existem? Conheça a padronização CEFR

Se você está pensando em estudar no exterior, saiba que alguns programas de intercâmbio exigem níveis de inglês diferenciados, uns mais elevados, outros nem tanto. 

Sem dúvida, se o seu objetivo é aprender inglês, é claro que não dá para se inscrever em qualquer um dos níveis de inglês oferecidos nos cursos. 

O ideal é que, nos programas de intercâmbio, os níveis de inglês estejam de acordo com as suas necessidades e expectativas com relação ao aprendizado e a viagem ao exterior. Assim como aos níveis de fluência que você possui ou não.

Com certeza, um intercâmbio de inglês possibilita que você aprenda o idioma mais falado do mundo, considerado universal e que está presente em praticamente tudo ao nosso redor. 

Por isso, se você pensa em fazer um intercâmbio de trabalho ou mesmo um programa que foque no aprendizado do idioma, é importante saber identificar e comprovar onde você está inserido, dentre os vários níveis de inglês. 

Desse modo, tradicionalmente, os níveis de inglês podem incluir o básico, o intermediário, o avançado ou o fluente. 

Entretanto, quando tratamos de níveis em relação a testes de proficiência eles podem ser escalonados de uma forma mais técnica, considerando os níveis de fluência, certo?

Nesse sentido, a importância dos níveis de inglês é caracterizada pelo indicativo do grau de conhecimento e habilidade que uma pessoa possui em relação ao idioma. 

Pelo fato de alguns programas de intercâmbio exigirem essa comprovação, cabe ao estudante realizar um exame de proficiência no idioma inglês.

Em posts anteriores, já falamos aqui inclusive sobre os testes de proficiência em inglês e partilhamos o que você precisa fazer para se preparar, seja para língua inglesa, espanhola, alemã, entre outras. 

Conheça os exames de proficiência mais comuns para o inglês

  • TOEFL
  • IELTS
  • Cambridge

Agora a pergunta que não quer calar, provavelmente é em relação aos requisitos dos níveis de inglês nos diversos programas de intercâmbio.

Em primeiro lugar, é preciso desmistificar a história de que pessoas que não possuem conhecimento algum do idioma não podem fazer intercâmbio. 

Isso não é verdade! Você consegue participar de modalidades de intercâmbio que o foco é justamente ensinar alunos a aprender inglês desde o zero.

Por outro lado, caso você queira fazer um intercâmbio de trabalho, aí sim é necessário ter um conhecimento do idioma e níveis de fluência do inglês a partir do intermediário. 

Nesse sentido, uma forma eficiente de participar de programas de intercâmbio de inglês que incluem trabalho é aprender inglês em um curso específico antes, posteriormente trabalhar, quando atingir o nível necessário para tal.

Em se tratando dos níveis de inglês de um modo mais geral, vamos explicar o que são e pontuar algumas coisas necessárias e competentes a cada um deles, certo? 

Desse modo, você terá mais clareza onde cada modalidade de intercâmbio está inserida e se você está pronto para ingressar nesta jornada enriquecedora!

Então, entenda mais sobre os níveis de inglês e como eles podem impactar na sua experiência de intercâmbio no exterior.

Níveis de inglês: básico, intermediário e avançado

Nível Básico

Quando alguém se considera com nível básico de inglês ela possivelmente compreende expressões simples e até consegue usá-las. Sabe aquelas questões básicas e que competem termos práticos? 

Então, as pessoas normalmente são capazes de se apresentar, perguntar sobre cor preferida, questionar as horas e podem conhecer algumas palavras mais simples e comuns. 

Nesse sentido, a comunicação entre pessoas que permeiam esse nível geralmente é curta, rápida e pode gerar algum tipo de pausa e conflito de entendimento. Programas de intercâmbio de inglês são ideais para receber estudantes sem conhecimento ou com conhecimento básico.

Nível Intermediário

As pessoas que se encontram neste nível intermediário,  já conseguem se comunicar de uma forma rápida, prática e sem ruídos. 

Por isso, compreendem assuntos mais complexos e conseguem manter uma conversa fluida e sem interrupções para buscar palavras, mesmo que ainda tenham algumas divergências com o idioma. 

Porém, por já conhecerem a língua, existe uma facilidade maior em aprender e se desenrolar.

Programas como High School, Férias Teen, Au Pair, Work Experience e Estudar e Trabalhar recebem participantes que tenham pelo menos esse nível de idioma. 

Nível Avançado

Dentre os níveis de inglês, o mais avançado contempla aquelas pessoas que têm o domínio pleno da língua e por isso são consideradas fluentes no idioma.

Bem como, possuem habilidade de compreender de forma avançada textos longos, mais complexos e conseguem se comunicar de forma espontânea.

Programas de intercâmbio de inglês como os do nível intermediário também podem ser configurados neste nível avançado. 

Porém, pode-se acrescentar ainda as modalidades de intercâmbio para ingressar em uma Universidade, onde os participantes podem optar por cursar uma Graduação, MBA, Especialização, Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado

E, nesse sentido, para se candidatar a vaga em qualquer curso de uma universidade na língua inglesa, você vai precisar comprovar a proficiência no idioma, que é considerada como o mais alto dos níveis de fluência na nova língua.

Por isso, é importante estar atento aos exames de proficiência, caso a sua escolha de intercâmbio configure essa necessidade. Mas lembre-se que há oportunidades bastante democráticas e que você pode aprender um idioma estudando fora, ou mesmo aperfeiçoá-lo.

E para não haver dúvidas em relação às classificações dos níveis de inglês em todos os lugares onde cursos no idioma são oferecidos, algumas instituições internacionais criaram um padrão para definir, de forma universal, os níveis de inglês.

Padronização dos níveis de inglês

Por exemplo, na Europa, o Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR) é o método que classifica e orienta acerca dos diversos níveis de inglês, considerando expressão e compreensão oral e escrita para o idioma.

Esta metodologia é usada tradicionalmente nos países da Europa, entretanto, há outros países que também a utilizam como padrão para o ensino de inglês. 

Este padrão é de suma importância para professores, escolas e empresas, pois permite uma avaliação mais precisa sobre as habilidades linguísticas de seus alunos e funcionários.

Por outro lado, alunos ou pessoas que precisam provar seu nível de inglês para estudar, trabalhar ou se candidatar a uma bolsa no exterior, podem comparar as notas obtidas nos exames, como IELTS ou Cambridge, com o nível de aptidão de cada nível do CEFR.

Conheça os níveis de inglês, segundo o CEFR

  • A1 e A2 – Usuário Básico 
  • B1 e B2 – Usuário Independente 
  • C1 e C2 – Usuário Proficiente

Nível de inglês A1

Este nível contempla os usuários básicos da língua inglesa, aqueles que são capazes de se comunicar em situações cotidianas, mas de forma pausada e utilizando expressões comumente usadas e vocabulário elementar e simplório.

Nível de inglês A2

Da mesma forma, no nível A2, os usuários da língua ainda são considerados básicos, mas possuem mais agilidade para se comunicar em situações cotidianas com expressões comumente usadas e vocabulário elementar. 

Geralmente, incluem conteúdos relacionados a aspectos de interesse pessoal como, por exemplo, família, compras, trabalho e meio em que vive.

Nível de inglês B1

Tanto os níveis de inglês B1 e B2 correspondem a usuários independentes do idioma, ou seja, aqueles que possuem a fluência necessária para se comunicar sem esforço com falantes nativos.

Mas no nível B1, o estudante é capaz de compreender os principais pontos de uma conversa sobre assuntos correntes do trabalho, da escola, dos tempos livres, dentre outros temas. 

Também consegue entender programas de rádio e televisão, quando o ritmo da fala é relativamente lento e claro.

Nível de inglês B2

Além de corresponder aos usuários independentes do idioma, que possuem a fluência necessária para se comunicar sem esforço com falantes nativos, neste nível o estudante pode

compreender exposições mais longas e palestras

E até acompanhar trechos mais complexos da discussão, desde que tenha algum conhecimento sobre o tema.

Nível C1 de inglês

Já o nível C1 é aquele onde os usuários são considerados proficientes do idioma, ou seja, aqueles que são capazes de realizar tarefas complexas relacionadas ao trabalho e ao estudo. 

Além disso, consegue compreender e interpretar assuntos de temas diversos, mesmo que abordados de forma implícita. Entende programas de televisão e rádio sem dificuldade.

Nível de inglês C2

O nível C2 é o mais alto dos níveis de fluência no idioma. Também conhecido como proficiente, corresponde aqueles usuários capazes de realizar tarefas complexas relacionadas ao trabalho e ao estudo.

Não encontram dificuldades para entender qualquer tipo de enunciado oral, seja ao vivo ou transmitido, em qualquer ritmo e velocidade, consegue diferenciar diferentes tons e sotaques da língua inglesa.

Em conclusão, neste texto, você acabou de conhecer os níveis de inglês e entendeu a importância da padronização destes níveis para o aprendizado do idioma e para o desenvolvimento profissional.

Também quebrou um tabu e atestou que não é necessário ter conhecimento avançado do inglês para realizar um programa no exterior. 

Sendo assim, caso tenha sentido curiosidade de saber quais as opções para você, de acordo com seu perfil, preferências, objetivos e níveis de inglês, contate um de nossos especialistas.

Referências

https://tracktest.eu/english-levels-cefr/

https://www.britishcouncil.es/en/english/levels